VOCAÇÃO OBLACIANA:
UMA INSPIRAÇÃO À SER VIVIDA EM TODOS ESTADOS DE VIDA.


Desde o início da Igreja, alguns cristãos se destacaram por escolher um estilo de vida que se diferenciava dos outros cristãos. Eles escolheram consagrar totalmente as suas vidas a Deus através do celibato por amor do Reino, da pobreza e da obediência. Assim eles podiam dedicar toda sua vida ao serviço de Cristo e do seu evangelho, já que não se casavam assim como ele não se casou, todas as riquezas e luxos assim como ele também fez e se fizeram obedientes assim como ele também foi obediente até a morte numa cruz. Dessa forma esses homens e mulheres se tornaram um sinal da vida futura para todos os cristãos, lembrando-os de que estamos todos de passagem por esta terra e que nossa pátria definitiva é o Reino dos Céus.


Muitos desses consagrados perceberam que foram chamados por Deus a viver em comunidade e a desempenhar uma missão especifica na Igreja, este é o caso das ordens e congregações religiosas. Seus membros escolheram viver e partilhar o dom das suas vocações no compromisso da fraternidade e em vista de um mesmo ideal que receberam de seus fundadores.


No entanto, muitos féis que não foram chamados a essa consagração mais radical, se sentindo atraídos pela espiritualidade e missão das ordens e congregações religiosas, resolveram se aproximar dos conventos e casas religiosas para comungar em um certo grau da vida de oração e dos trabalhos que eles desempenham. Talvez o mais antigo exemplo de uma associação fiéis que se vinculou a uma família religiosa seja a Ordem Terceira franciscana que, junto com Ordem Primeira dos Frades e a Ordem Segunda das irmãs Clarissas, formam a família franciscana. Depois disso outras famílias de frades mendicantes, como os dominicanos, os agostinianos e os carmelitas, também fundaram as suas próprias ordens terceiras, abertas ao ingresso de todos os fiéis católicos.


Na nossa Congregação dos Oblatos de Cristo Sacerdote não foi diferente, em 2005, por ocasião das celebrações do Jubileu de Ouro da fundação da nossa Congregação nasceram os Oblatos Leigos de Cristo Sacerdote, que tiveram origem com um grupo de homens e mulheres que frequentavam o então Mosteiro da Sagrada Face, participando das missas dominicais e auxiliando nos eventos que eram promovidos.


Os Oblatos leigos são desde então o braço secular da família religiosa dos oblatos de Cristo Sacerdote. Eles comungam da espiritualidade oblaciana que nos foi deixada Padre Januário Baleeiro e da missão que Deus nos confiou através dEle, de servir à Cristo Sacerdote nas pessoas dos seus Bispos e Padres. Nossa família religiosa é agraciada pelo auxílio e apostolado de cada oblato leigo que, no meio da sua família e do seu trabalho, faz o nome de Deus ser glorificado, santificando-se e fazendo da sua vida uma agradável oblação à Cristo Sacerdote.


Os oblatos leigos são um testemunho vivo de a vocação oblaciana é um chamado de Deus que pode ser respondido por todos os fiéis, sejam eles solteiros, casados ou ordenados e tenham eles qualquer idade. o amor de oblação pode ser vivido por todos na realidade específica de suas vidas. Sem os oblatos leigos nossa família religiosa estaria incompleta e a Sagrada Face de Cristo Sacerdote estaria menos consolada. Que a Virgem Mãe das Vitórias e Medianeira de todas as graças, interceda pela vitória final de cada oblato leigo que abraçou a essa vocação oblaciana.


Laudetur Iesus Christus Sacerdos! Semper Laudetur!


João Lucas