21 Anos da Páscoa de nosso Fundador

No dia 16 de maio de 1991, foi chamado à Casa do Pai nosso fundador, o Pe. Januário Baleeiro de Jesus e Silva, OCS, aos 68 anos de idade. Portanto, há 21 anos fazia sua páscoa, sua passagem para a eternidade e deixava neste mundo ainda nascente, com apenas 36 anos, a Congregação dos Oblatos de Cristo Sacerdote.
            Olhando, hoje, para aquele momento, recordo-me das palavras de Jesus em seu discurso de despedida: “É bom para vós que eu parta; se eu não for, não virá até vós o Defensor...” (Jo 16,7). Como os discípulos do Senhor tivemos – e pode ser que ainda tenhamos – dificuldade em compreender sua partida prematura. Queríamos muito que ele ainda estivesse entre nós completando seus 90 anos, mostrando-nos o caminho, guiando-nos no carisma que recebemos de Deus através dele, já que ninguém jamais ocupará seu lugar de fundador. É por isso que as palavras de Jesus no evangelho vem falar a cada Oblato: “...se eu for, mandarei o Defensor”, o Espírito que o inspirou e conduziu.
Não sei se estamos à espera de um Pentecostes ou se ele já aconteceu, sei que devemos permanecer unidos em oração, congregados por Cristo Sacerdote para uma missão: oferecer nossas vidas pelos seus sacerdotes; amá-los, servi-los, interceder por eles e com eles. Eis o carisma! O presente que Pe. Baleeiro, OCS, recebeu das mãos de Deus para nos entregar ... e o fez! Não sei se estamos à espera de um Pentecostes ou se ele já aconteceu, sei que devemos permanecer unidos em oração, congregados por Cristo Sacerdote para uma missão: oferecer nossas vidas pelos seus sacerdotes; amá-los, servi-los, interceder por eles e com eles. Eis o carisma! O presente que Pe. Baleeiro, OCS, recebeu das mãos de Deus para nos entregar ... e o fez!
            Só no Brasil são mais de 400 bispos e cerca de 20 mil sacerdotes para serem amados, servidos e fortalecidos. Temos, de fato, de uma grande missão!
          

Por isso, dirijo-me aos que receberam esse carisma. Alguns estão congregados e consagrados como Oblatos de Cristo Sacerdote; outros viveram conosco por algum tempo e hoje não estão mais congregados, mas guardam no coração o amor pelos sacerdotes e bispos; outros ainda bebem conosco dessa fonte do carisma como Oblatos Leigos. Estes, nas suas diversas cidades, paróquias, pastorais, movimentos e famílias oram pelos padres, servem-lhes na medida de as possibilidades e amam esses homens que Deus escolheu. A vocês, a nós, digo: permaneçamos em oração, desenvolvendo da melhor forma possível a missão que recebemos e pedindo insistentemente o Espírito Santo de Deus, unidos à Mãe de Jesus, a Senhora das Vitórias.

“Com as armas do amor de Oblação a Jesus Cristo Sacerdote Eterno e a Nossa Senhora das Vitórias, fortificados pela oração e pelo trabalho, os membros deste Instituto constituem uma milícia contra o mal, em defesa dos interesses de Deus, na pessoa dos seus Ministros, os Sacerdotes seculares, autênticos continuadores da mediação sacerdotal de Cristo. Esta milícia se arregimenta em torno da criatura a quem Deus constituiu e proclamou a inimiga invencível de todo Mal, cuja cabeça ela devia esmagar (cf Gn 3,15). Essa criatura é a Virgem e Mãe de Cristo Sacerdote e de todos os cristãos, a Senhora invencível de todas as vitórias sobrenaturais, desde a sua Imaculada Conceição; e é nas hostes de tão poderosa rainha que os Legionários Oblatos se propõem a combater e vencer pela glória de Deus e a honra da Igreja, defendendo e assistindo os sacerdotes seculares.”
Estas são palavras de Pe. Januário Baleeiro, OCS, encontradas em um manuscrito, esboço de nossas primeiras constituições. Que através delas ouçamos outra vez a voz de nosso querido Fundador convidando-nos a abraçar a missão por ele começada!


Pe. Samuel José de Carvalho, OCS